Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Pensar Alto...

A Pensar Alto...

09.09.21

365 Histórias, o livro para os mais pequenos

Vânia Pimenta
Vagueava pelo mundo dos livros online, como sempre (risos), e não sei porquê, já que não estava a procurar nada relacionado, apareceu-me uma lista de livros à venda da qual fazia parte um livro que tinha desde muito pequenina e que é um dos culpados por gostar tanto de ler e escrever. Nunca mais me lembrei dele, ou da capa, e neste momento deve estar algures num baú da cave dos meus pais... Quando vi senti saudades e um sentimento reconfortante porque gostava mesmo muito. Muitas (...)
08.09.21

Adianta um grosso, sim!

Vânia Pimenta
  Como alguém que adora escrever não podia deixar de vir aqui 'mandar uns bitaites'. Depois de aguçar o lápis e reunir algumas ideias que me levaram a escrever este post, foi finalmente hora de dar corda aos vitorinos, me alapar e começar a escrever-vos sobre um dos meus temas favoritos: o meu e nosso Norte! Não sobre a região em si, propriamente dita, mas sobre algo que considero muito valioso e extremamente importante: a cultura, que passa pelas tradicionais e míticas (...)
06.09.21

'Hey there Dellilah' see you in a few years

Vânia Pimenta
'Hey there, dellilah What's it like in New York city?' Sentei no sofá e com a TV ligada por mero acaso, no VH1, terminou uma música que não me lembro qual era e começou 'Hey there Dellilah' num tom calmo e bonito, e embora nunca me tenha marcado muito, ao escuta-la lembrei a adolescência. Escutei com tom de memória em jeito saudoso. Já foi há X anos? Divaguei...no início achei que não podia ser...há medida que a memória ia tomando espaço do consciente percebi que envelheci e (...)
25.11.20

Almeida Garrett: a casa feita cinza com futuro de museu

Vânia Pimenta
Nada melhor depois de um passeio de final de tarde, em pleno outono, do que aproveitar o sol das Virtudes, no Porto claro, e saborear uma boa bebida na melhor companhia.  Depois de uma tarde assim, subindo desde as virtudes deparei-me com uma casa devoluta e em muito mau estado. Não tinha nada que chamasse a atenção à vista, no entanto era um edíficio imponente e com algo que despertava a curiosidade: uma espécie de brasão enorme com umas letras que assim de longe não (...)
22.11.20

"Mais se adora o sol que brilha, que o sol que ainda não nasceu"

Vânia Pimenta
Depois de mais um assalto à estante do meu avô, li "As Minas de Salomão", livro traduzido e de certa forma adaptado por Eça de Queiroz, e deparei-me com esta frase que me deixou a pensar: Mais se adora o sol que brilha, que o sol que ainda não nasceu. Fez-me perceber que ao longo dos séculos, o tempo muda, as gentes mudam, os hábitos mudam, os costumes mudam, a forma de vida muda, mas a essência de cada um e parte de um todo não, ao que parece não muda. De forma muito (...)
19.09.20

"No mundo todos somos um pedaço de algodão"

Vânia Pimenta
"Mas sabes...eu tenho a certeza de que no mundo todos somos um pedaço de algodão. Quando o algodão é apanhado das plantas é só uma "bola de pelo" com sementes e algumas impurezas lá pelo meio. Quando olhamos, não nos parece nada de especial , não vemos nada de espetacular ali, até que um dia olhamos para a montra de uma loja e lá está o algodão, agora, numa linda camisola. Assim somos todos nós. Porque ainda não conseguimos ver a camisola bonita, não significa que não (...)
17.09.20

Vila Nova de Mil Livros

Vânia Pimenta
A chuva chegou e lá fora já se ouvem alguns trovões, é o prenúncio que queríamos poder adiar por mais uns tempos e deixar o verão fazer morada durante mais uns dias, uns bons dias. Pelo menos para mim seria essa a vontade. Mas no que termina há sempre algo para recordar e, este verão foi muito, mas muito, muito bom. Entre sol, idílicas praias, gastronomia, souvenirs e tanto de bom, houve também 'Letras' presentes. Pois bem, a surpresa estava em Vila Nova de Milfontes, (...)
30.06.20

Dom Quixote de 'La Verguenza'

Vânia Pimenta
Não existe dimensão para quantificar o quanto gosto e admiro os meus avós e depois deste texto ainda mais um bocadinho. Em tempos de pandemia e de quarentena, tomo os livros como agências de viagens que nos podem transportar para outros tempos, lugares e obviamente histórias. Tanto assim que me vejo, neste momento, a ler mais do que um livro ao mesmo tempo. Estou a terminar um da fantástica obra de Eça de Queiroz e, sendo um escritor que gosto muito de ler, decidi ler toda a obra (...)
06.05.20

E se o nosso país não for tão pacato como achamos?

Vânia Pimenta
E se quarentena é sinónimo de estar em casa...creio que para a maior parte dos portugueses é e foi também sinónimo de conhecer o que se tem nas prateleiras esquecidas lá por casa. A mim pelo menos aconteceu isso. Num breve passeio pela estante do escritório vi que tinha para lá guardado um livro que nunca tinha lido e que estava meio perdido naquele oceano de papelada. Chamou logo à atenção pela capa peculiar e diferente de todos os outros livros que tenho e além disso um (...)
04.05.20

Shakespeare and Company

Paris

Vânia Pimenta
I created this bookstore like a man would write a novel, building each room like a chapter, and I like people to open the door the way they open a book, a book that leads into a magic world in their imaginations. Criei esta livraria como um Homem escreveria um romance, criando cada divisão como um capítulo, e gosto que as pessoas abram a porta como abrem um livro, um livro que as leva a um mundo mágico na sua imaginação. George Whitman Paris, Cidade Luz, do Amor, da Arte, da (...)