Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Pensar Alto...

A Pensar Alto...

Qua | 08.09.21

Adianta um grosso, sim!

Vânia Pimenta

porto-2211719_1920.jpeg

 

Como alguém que adora escrever não podia deixar de vir aqui 'mandar uns bitaites'. Depois de aguçar o lápis e reunir algumas ideias que me levaram a escrever este post, foi finalmente hora de dar corda aos vitorinos, me alapar e começar a escrever-vos sobre um dos meus temas favoritos: o meu e nosso Norte!

Não sobre a região em si, propriamente dita, mas sobre algo que considero muito valioso e extremamente importante: a cultura, que passa pelas tradicionais e míticas expressões que todos usamos cá em cima, sem nos darmos bem conta. Já são da casa.

João Carlos Brito lançou o Dicionário de Calão do Norte, "o português mais português de Portugal" e na minha opinião trata-se de uma coletânea incrível para que a história não se perca e nós nortenhos não fiquemos sem algo qu tão bem nos caracteriza e orgulha, a língua e as nossas expressões.

Já me aconteceu perguntarem-me se sabia como se chamava uma banca, um testo e uma sertã fora do Norte e na verdade, só nesse momento é que percebi que havia outros nomes para se darem a esses objetos, nomeadamente uma pia (nome horrível, banca é muito mais giro ahah), uma tampa (que para mim é o que se dá quando se recusa um convite) e uma frigideira.

Ainda bem que alguém teve esta brilhante ideia de reunir as expressões num dicionário, como já acontecera com o Dicionário de Calão do Minho e Lugares e Palavras do Porto, do mesmo autor. Gravar e marcar o que faz de nós gentes do Norte é levar-nos por séculos e, por isso, 'adianta um grosso', sim!

Viva o Norte, carago!

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo

    11.09.21

    Chamo-me João Carlos Brito e sou o autor do livro que refere (e do comentário "anónimo" anterior...).
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.